Etiquetas Personalizáveis Para Presentes de Páscoa

E porque a Páscoa está quase a chegar, os presentes temos de começar a etiquetar.
Se queres dar um presente sem gastares dinheiro, imprime as etiquetas abaixo, faz um bonito desenho no seu interior e oferece por exemplo aos teus padrinhos; pois a Páscoa é aquela altura em que os padrinhos se lembram dos afilhados, embora na minha perspetiva isso devesse acontecer em muitas outras ocasiões e sem ser preciso dar ou receber um presente palpável, mas sim um invisível mas sentido pedaço de amor.
Estas grandes e bonitas etiquetas também podem servir para acompanhar os presentes que a tua família oferecer na Páscoa.

Uma etiqueta em forma de ovo da Páscoa:

Uma etiqueta quadrangular com flores, para acompanhar os presentes da Páscoa:

Celebrando na Escola os Dias Mundiais da Árvore, da Poesia e da Água

Como esta semana houve tantos Dias Mundiais para celebrar, e como as férias estão à porta, achei que poderia ir fazer umas atividades lúdicas na sala de aula da minha filha.
Comecei por lhes explicar como surgiu o Dia da Árvore, e disse-lhes que dia 21 fora o seu Dia Mundial. Pedi que lessem o poema que criei dedicado à Árvore e a eles. Esse poema serviu também para de certa forma comemorar o Dia Mundial da Poesia que aconteceu ontem.

Perguntei-lhes se sabiam o porquê de se ter criado um dia dedicado à poesia, ao que um ou outro respondeu e muito bem que era para que as pessoas lessem mais; sim esse é um entre alguns fatores que já aqui expliquei anteriormente no www.cadernoescolar.com .
Levei para a aulinha o feijoeiro da minha filha ainda em fase inicial, para os incentivar a plantar algo no Dia Mundial da Árvore.

Entretanto teve início a parte criativa desta aula, na qual os alunos tinham de decorar uma árvore que seria no fundo a Árvore especial Poc Poc da minha poesia. Forneci-lhes os materiais abaixo e sugeri que as pipocas fossem coladas nas copas no lugar das flores, e que o côco ralado tingido fosse colado como relva, e que no recreio colhessem cascas de árvores para colar no tronco do desenho de cada um.


Como a cola de que dispunham era de stick não deu no momento para fazerem as colagens todas, mas não lhes faltou arte naquelas mãozinhas.
Vejamos aqui alguns dos trabalhos:

As atividades criativas continuaram com a criação de uma lagartinha florida de papel para enfeitar os lápis durante a Primavera. Na imagem abaixo eu tenho um lápis adornado com uma dessas lagartinhas ainda por colorir. Nessa mesma imagem eu estava a fazer uma breve abordagem ao Dia Mundial da Água que é hoje.
E assim se passou mais um dia repleto de propostas, embora eu tivesse muito mais a querer transmitir àqueles pequenos vivaços.

Boas férias meninos e meninas!

Hoje é Dia Mundial da Água

Recordemos que em Portugal, a 1 de outubro, comemorou-se o Dia Nacional da Água; mas existem diversas outras datas que assinalam a importância deste líquido vital.
Hoje também festejamos a existência deste bem precioso, assinalando à data o Dia Mundial da Água, dia este que foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) a 22 de março de 1992, afim de promover debates sobre a consciência do Homem em relação à importância de preservar tal bem natural.
Esta questão ecológica relativa à água, tornou-se um dos focos de atenção pela ONU, devido à crescente poluição do nosso planeta e à consequente contaminação das águas.
Como medida de preservação ambiental sobretudo relativamente à água, a ONU criou um documento designado por Declaração Universal dos Direitos da Água, o qual defende essencialmente aspetos tais como:
– a água faz parte do património mundial e todos nós somos responsáveis pelo mesmo;
– devemos defender a poupança de água;
– sobretudo a água potável deve ser utilizada com economia, pois os recursos de tratamento são ainda lentos e escassos;
– o equilíbrio do planeta depende da conservação dos rios, mares e oceanos, bem como dos ciclos naturais da água;
– temos de usar a água com a noção de que não devemos poluí-la ou envenená-la;
– somos responsáveis com as gerações futuras;
– o homem deve ser solidário, evitando o seu desperdício e lutando pelo seu equilíbrio na natureza.
Perante tal documento, a ONU promove a melhoria da qualidade da água e do nosso bem-estar, responsabilizando todos os seres humanos quanto à economia, à preservação e manutenção deste líquido precioso que nos garante a nossa vida e a de gerações vindouras.

A título de curiosidade, e também para que todos ponderem os seus hábitos de alimentação que se refletem na poupança de água, deixo-vos aqui uma tabela exemplificativa dos litros de água necessários à produção de determinados géneros alimentares.


Reparem como um alimento tão básico como a batata é dos menos dispendiosos de água. Já quanto ao hamburguer… pensem duas vezes antes de comer um, pois além de ser o alimento mais caro e calórico desta tabela, gasta-se imensa água na sua produção. Sendo assim, quem fizer uma alimentação salutar não só poupará a saúde como economizará água e consequentemente dinheiro também.

Poupemos a água para preservarmos a vida!

Poema e Atividade Para Celebrar o Dia Mundial da Árvore e Dia da Poesia

Com a implantação da República em Portugal a 5 de Outubro de 1910, surgiram novos valores, nomeadamente o culto da árvore associado à valorização da educação e da pátria.
Em 1907 começam por terras lusas as festas em homenagem às árvores.
Em 1912, o Jornal “O Século Agrícola” quis liderar as comemorações e propagandas nacionais a tais eventos, dando a conhecer os programas dos mesmos.
A Festa da árvore viria a adoptar um hino específico que seria publicado no referido jornal, e que aqui podem ver.

Contudo as festas à Árvore não tiveram origem em Portugal, mas sim no Estados Unidos da América, mais concretamente no Nebraska, em 1872, onde Julius Sterling Morton foi o mentor de um projeto incentivador de plantação de árvores.

A 21 de Março comemora-se o Dia Mundial da Árvore.
Um pouco por toda a Terra há atividades especiais para esta data, como por exemplo plantar árvores, aulas em espaços verdes, visitas de Escola a Parques Naturais, pintar desenhos com arvoredo à mistura.
Pois bem, eu mais uma vez não me esqueci da minha filhota e dos seus colegas de turma, e assim venho aqui trazer-lhes um poema criado para eles e um desenho de árvore florida que editei para ser coberta com uma deliciosa surpresa. E assim celebraremos o Dia da Poesia e o Dia Mundial da Árvore.

Agora vamos lá pintar esta árvore primaveril e nela colar umas surpresas de estalar…

Para as atividades dedicadas ao Dia da Árvore terminar aqui fica um desenho para pintar e recortar de uma minhoca florida lembrando a Primavera e as flores das árvores. Depois de enfeitada, pode ser colocada no topo ou ao longo de um lápis ou caneta.

Não esqueçamos que o Dia Mundial da Árvore tem como objetivo sensibilizar-nos para a importância das árvores  para o nosso bem estar, assim como para conservação da vida na Terra.

Relativamente à Comemoração do Dia Mundial da Poesia, esta teve início em 1999, e o seu objetivo é promover hábitos de leitura, da escrita e ensino da poesia.

Uma Escultura Na Areia Para o Pai!

Neste Dia do Pai, se o tempo for favorável, e estiverem perto de uma praia, podem inspirar-se na seguinte escultura de areia (mãos de um pai a segurar nos pés do seu filho bebé) e fazer uma esculturado género para oferecer ao vosso Pai para lhe oferecer neste dia dedicado a ele.
Se não puderem, ou não conseguirem fazer uma escultura destas, poderão substituir a areia por barro ou massa de modelar e fazer algo mais pequeno mas que igualmente traduza o vosso amor pelo vosso pai.

Bom Dia do Pai a todos os bons Pais!

As Atividades Que Apresentei Aos Alunos

Tinha pedido à Professora que me reservasse um quarto de hora para “brincar” com os seus alunos, mas entre texto e atividades, acabei por lhe tomar mais de uma hora. Porém como todos gostámos, valeu a pena!

Para além do texto proposto para leitura, levava comigo três sugestões de atividades: a primeira para o Dia do Pai, a segunda alusiva à Primavera, e a terceira dedicada à Páscoa.

Falei-lhes sobre a arte japonesa de construção de figuras com papel (Origami) e fiz-lhes uma breve resenha biográfica do mestre de origami Akira Yoshizawado.
Com recurso ao reaproveitamento de papel, construí 3 quadrados na medida de 15 por 15, tendo-lhes explicado o significado desta medida e como se fazia no papel com uma régua. Com um dos quadrados mostrei-lhes passo a passo como é fácil fazer em origami um coração para oferecer no Dia do Pai e sugeri que a este juntassem uma foto sua.

Com os restantes dois quadrados, mostrei-lhes passo a passo a facilidade como se faz uma flor tipo túlipa ou algo mais elaborado.

Acrescentei que a dobragem do caule ficaria ao critério deles, pois isso dependeria se queriam um caule mais fino ou mais grosso, tal como aparecia numa matéria dos seus manuais do aluno. A minha filha concluiu dizendo que seria um caule herbáceo ou lenhoso.

Para atividade da Páscoa levei um rolo de papel higiénico e mostrei-lhes como se fazia um porta-canetas em forma de coelhinho.

Seria só pintarem os desenhos dos coelhinhos presentes aqui no cadernoescolar.com e após recortarem-nos colarem-nos em rolos de papel higiénico previamente forrados com papel de lustro, ou papel prateado ou dourado de Natal, ou com papel com motivos de Páscoa. Para os bigodes dos coelhinhos frisei que não cortassem as vassouras lá de casa, mas que se encontrassem uns fios de vassoura os guardassem para formarem esses bigodinhos, ou então que comprassem numa papelaria uns limpa-cachimbos que também dariam para o mesmo efeito.

Estas atividades tiveram outro ideal subjacente, para além da componente lúdica tinham uma função educativa, que pretendia  dar destaque à importância do aproveitamento e reciclagem de materiais, poupando assim recursos e também dinheiro num tempo de crise que atravessamos.

Com o tempo de aula da Professora a escassear, eu sem mais delongas ausentei-me após a promessa da continuarem a trabalhar as minhas sugestões ainda esta semana e depois de um agradecimento geral pelas minhas surpresas saí com a satisfação de um dever cumprido .

Caros meninos, até uma próxima oportunidade!

Uma Aula com Muitas Bolas Dentro

Nem calculam como esta manhã foi agradável surpreender na Escola, a minha filha, os seus colegas e a Professora.
A ideia do texto de ontem funcionou como pretendia.
Reuni vários tipos de bola para levar (como poderão ver pelas fotos abaixo), e já na Escola coloquei-as expostas numa mesa.
Havia bolas de todas as cores e estilos, para todos os gostos e com diversas utilidades, tais como: bola de futebol, bola plástica infantil com desenhos, bola insuflável, bola rebenta balões, bola de ténis, bola de ténis de praia, bola saltitona, bola de brinde das máquinas de vending, bola de golfe, bolinhas de sabão, bola vela de Natal, bola de enfeitar pinheiro de Natal, bola de madeira de cheirinho, bola com luz led que varia de cor, balão já pouco cheio com a forma de uma bola, colar comprido com bolinhas pequeninas coloridas, colar com bolas tipo pérolas rosadas, colar com bolas de feltro coloridas, colar infantil com bolinhas coloridas, pulseira infantil com bolinhas coloridas, par de brincos com pendente terminando em mini-bolas de ténis, mini-pompons coloridos de feltro, anel com predrinhas em forma de bolinha, uma anjo de Natal com cabeça feita com bola de ping-pong, desodorizante Axe roll-on que contém uma bola no interior (como a maioria dos roll-on), fralda descartável infantil que quando se desfaz cria uma espécie de bolinhas de gel, uma bola decorativa tipo novelo de vime, uma bola decorativa redonda com um relevo desenhando o Pai-Natal, uma bola anti-stress, fita de cabelo com bolas feitas de pompons, queijo flamengo em forma de bola, kiwi em forma de bola, noz com formato de bola, Chocapic de bolinhas de chocolate branco e negro, bola de chocolate natalícia, rebuçado bola de neve,…
Haveria muitas outras bolas para poder expôr, tais como: bola de berlim (bolo), bola de berlim (de jogar), bagos de uva em forma de bola, gelados de bola, bola de basquetebol, bola de voleibol, um novelo de lã redondinho, bolas de algodão, bola de rato de computador, botões em forma de bola…

As crianças abeiraram-se da mesa de exposição e organizadamente, uma a uma, foram observando as bolas sem lhes tocar.
Questionei-os se conheciam todos aqueles tipos de bola. O Rodrigo perguntou-me para que servia uma em específico, ao que respondi tratar-se de uma bola rebenta balões.
Perguntei-lhes se sabiam a utilidade da bolinha de madeira, mas tive de lhes explicar que era para dar cheiro na roupa, e aí houve um ou outro aluno que se lembrou que lá em casa também teriam nos seus armários.
Achei curioso que ninguém estranhou a presença de uma fralda, e quando questionados porque eu a trouxera, tudo ficou na espetativa de ser eu a resolver a “charada”.
Eu compreendo que esta questão era das mais difíceis, pois nem todas as crianças têm irmãos bebés e nem todas as fraldas se deterioram desta forma que resulta em bolinhas de gel.

De seguida solicitei à Professora Mercedes que me ajudasse a formar dois grupinhos, encabeçados pelas manas gémeas Mafalda e Margarida. O grupo dos meninos ficaria com a Margarida e o dos meninas com a Mafalda.
As folhas das atividades para hoje já estavam impressas.
Era só deitar mãos à obra.
E de imediato coloquei as gémeas Mafalda e Margarida a lerem o texto “A bola”. Era importante que só lessem uma vez e que retivessem na memória a história e que depois de criança em criança e dentro de cada grupo fosse passando a mensagem em forma de sussuro num estilo do jogo telefone avariado.
Enquanto contavam ao ouvido uns dos outros o que julgavam ter ouvido do colega anterior e o que se lembravam, fiz com que no grupo das meninas fossem passando uma bola plástica infantil com desenhos da Cinderela, e no grupo dos meninos enquanto narravam a história ao ouvido, passavam uma bola de futebol pelas mãos do colega que se seguia.
Da bola nunca se esqueceram, já da história…
Ora vejamos os resultados:
O grupo das meninas terminou na Ana Rita com a seguinte frase:
“Um amigo convidou os seus amigos para irem a uma festa.”
E o grupo dos meninos terminou com o Danilo proferindo a mais bela frase desta manhã, mas que como podem analisar nada tem a ver com o texto:
“Todos os dias a minha mãe flutua no amor!”

Resumindo…
Mesmo depois de mostrar a todos os alunos dezenas de bolas, e mesmo sendo o texto com o título “A bola” e com tantas vezes nele repetida a palavra bola, e nem com as bolas que passaram de mão em mão durante a passagem da mensagem, nem assim nenhuma criança deu especial atenção a isso a ponto de na frase final incluir a palavra bola.
Coloquei duas meninas gémeas com bons e similares resultados académicos a iniciarem o jogo, separei as restantes crianças por sexos (embora os meninos estivessem em maioria), mas o resultado foi parecido pois ninguém se aproximou da temática do texto.
No final do jogo a Professora escreveu no quadro de lousa as frases resultantes, e eu pedi à minha filhota que lesse o texto em voz alta para todos os colegas.
Revejam aqui o texto, mas desta feita fiz-lhe ligeiras alterações para este se adequar melhor ao ensino do português de Portugal.

Para didática do português do Brasil, convém usar o texto original o qual se encontra no meu post anterior.
Agora sim, perceberam o quão longe estavam da ideia basilar deste poema.
Terminei o jogo perguntando-lhes se a bola com desenhos contava uma história. Quase em uníssono disseram contar a da Cinderela. Já quanto à de futebol disseram nada contar. E eu contrariei-os, dizendo-lhes que todas as bolas contam uma história, contam a história da infância da criança que brinca com ela, ou de outras vidas de quem com ela joga.
Disse-lhes que a bola não existe desde sempre, e fiz-lhes refletir como seria a vida dessas crianças que não tinham bola para brincar e até das que hoje também não têm.
Depois, olhando para os objetos da sala de aula, pedi que me referissem aqueles que tinham a forma de bola. Muito bem responderam: globo terrestre e a cabeça duns anjinhos mobile.
E eu acrescentei que tanto os meninos como as meninas têm sempre consigo duas bolinhas e apontei para os olhinhos vivaços das crianças.

Como moral, pretendi que entendessem que devemos ter cuidado com o que dizemos e também com o que ouvimos e tentamos reproduzir, e isto porque “quem conta um conto acrescenta um ponto”, e quando pensamos que tudo o que dizemos ou ouvimos é verdade, temos que nos lembrar que por vezes sem querer talvez por ouvirmos mal ou termos outro entendimento da realidade, acabamos por distorcer essa suposta veracidade de fatos.
Além disso quis que ficassem com a ideia de que a bola que passou de mão em mão só serviu para os distrair, e que quando estamos na aula ou em casa a estudar, temos de estar dedicados ao que fazemos sem ter distrações de maior por perto, sem estarmos sempre a brincar com a caneta nova ou a afia engraçada, e de preferência tendo somente na mesa os objetos necessários à elaboração das atividades escolares propostas.

Mas as surpresas não terminaram, e as restantes atividades vêm descritas no post seguinte.

Dia de Surpresa na Escolinha da Minha Filha

Foi solicitado aos pais da turma da minha filha da 3.ª ano, que fossem ler uma história na turminha dos seus filhos.
Como nunca perco uma oportunidade destas, irei lá amanhã fazer-lhes uma surpresa para além do que a Professora solicitou. Ainda lá não fui porque estou somente a aguardar que terminem as provas sumativas.
Levarei inúmeros apetrechos para desenvolver a criatividade das crianças, e para ver a capacidade de concentração, e no fim terminarei com uma moral da história.
Prometo aqui vir-vos contar mais pormenorizadamente como será a minha surpresa.
De momento deixo-vos com parte do material que usarei.
Experimentem com os vossos alunos, e certamente terão uma aula ludico-educativa diferente.

Texto que levarei para ler mas com as devidas adaptações ao português de Portugal:

Após breve referência ao aniversário do mestre japonês de origami (arte de dobrar papel sem cortar nem colar e que provém do japonês oru, que significa dobrar, e kami, que significa papel), Akira Yoshizawa (nasceu a 14 Março de 1911 e faleceu a 14 de Março de 2005), apresentarei a seguinte proposta de atividade para o Dia do Pai:

Outra proposta de origami, desta feita para a chegada da Primavera:

E como a Páscoa não tarda aí,  sugiro que se construa coelhinhos com recurso a reciclagem de materiais:

Só espero ter tempo para tudo isto…
Obrigada Professora Mercedes pela paciência…

Agora venham daí os comentários. Gostaram?

Quem é a Pessoa Mais Importante da Nossa Vida?

Já pensaram quem é a pessoa mais importante das vossas vidas?
Pode ser uma mãe, um pai, um irmão ou irmã, um filho/filha, a esposa ou marido, um(a) namorado/a, um(a) amigo/a, um animal doméstico, ou até nós mesmos.
Amanhã, 14 de Fevereiro, é Dia de S. Valentim (dia dos Namorados, mas também dia dos apaixonados pela vida e pelos familiares e amigos), boa altura para declarem o vosso amor a quem mais amam, seja esse amor platónico, carnal, paternal, fraternal ou simples e sincera amizade.
Todos gostamos de saber o quanto somos amados, e os que nos rodeiam idem aspas.
As declarações de amor podem ser feitas com um desenho, com uma carta ou postal, com uma flor, com um beijo, e com a ajuda até das novas tecnologias.
Ainda hoje, navegando na web, encontrei um site, onde uma abelhinha nos indica quem é a pessoa mais importante da sua vida. Nesse site só terá de digitalizar no retângulo inicial o seu nome ou de quem se gosta, depois clicar no ninho de abelhas, e aguardar que a abelhinha faça uma surpresa florida à referida pessoa. Clique neste link e aceda ao site da declaração amorosa da abelhinha.

Sabes Quem Foram os Três Reis Magos?

A 6 de Janeiro, comemoramos o Dia de Reis. Da Escola até costumas levar uma coroa feita com a ajuda dos professores, não é mesmo?! E tu és o rei ou a rainha lá de casa.
Mas afinal porque se celebra este dia em concreto? Segundo a Igreja Católica, quem terão sido os 3 Reis Magos?

Os Reis Magos são personagens que vieram do Oriente, guiados por uma estrela, para adorar o Deus Menino, em Belém.
Os nomes são Belchior, rei da Pérsia; Gaspar, rei da Índia; e Baltazar, rei da Arábia. Em hebreu, esses nomes significavam “rei da luz” (melichior), “o branco” (gathaspa) e “senhor dos tesouros” (bithisarea).
Belchior surge como representante da raça branca (europeia) e descenderia de Jafé; Gaspar representaria a raça amarela (asiática) e seria descendente de Sem; por fim, Baltasar representaria todos os de raça negra (africana) e descenderia de Cam. Estavam neles representadas todas as raças conhecidas na altura: os semitas, os jafetitas e camitas. Assim a adoração dos Reis Magos ao Menino Jesus simboliza a homenagem de todos os homens na Terra ao Rei dos reis que era o Menino Jesus.
Os presentes foram: Ouro, oferecido por Belchior, em homenagem à sua realeza. Incenso, oferecido por Gaspar, para representar a divindade do Menino Jesus. E Mirra, oferecida por Baltasar, que pela seu sabor simbolizava o sofrimento que Cristo enfrentaria na Terra, enquanto salvador da Humanidade, também simbolizava Jesus enquanto homem, em sinal de sua humanidade.
Em suma, os Reis Magos homenagearam Jesus como rei oferendo-lhe ouro, como Deus ao presentearem-no com incenso, e como homem ao darem-lhe mirra.

Para terminar este meu ensinamento, não te ofereço nem ouro, nem incenso nem mirra, mas sim um bonito desenho dos Três Reis Magos carregando cada um o seu presente que iriam posteriormente oferecer ao Menino Jesus.

Se frequentas a Catequese ou a disciplina de Religião Moral, deixo-te aqui um desafio: Desenha o que oferecerias a Jesus se ele ainda fosse um menino mas no tempo atual!